Olá leitores!

Depois de um bom tempo sem postar no blog (como sempre um grande recesso) surgiu em minha cabeça um assunto que vejo ser muito discutido ultimamente. Neste último fim de semana me encontrei com um amigo para ajudá-lo em um estudo de caso e ficamos por algumas horas conversando sobre várias coisas e entramos neste assunto, qual seria o futuro dos aplicativos e vindo de duas pessoas que já atuam na área de TI há um certo tempo, ambos teem a mesma visão: Tudo irá parar na Web.

Se pararmos para pensar, uma das primeiras ações que tomamos ao ligar nosso computador hoje em dia é abrir o navegador (Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari, Opera, Inter… não, estamos falando de navegadores.). Então podemos perceber que a maioria das tarefas que realizamos hoje em dia no computador, é feita atráves do navegador, ou seja, na Web.

A pergunta da vez seria: o que não podemos fazer na Web? Acho que a única resposta, e seria uma resposta parcial seria “Jogar jogos com gráficos perfeitos”, mas porque imparcial? Porque apesar de podermos jogar no navegador a tecnologia que nos dá acesso à estes gráficos incríveis, o WebGL ainda está nos seus primórdios, então neste momento ainda não temos isso, mas em um futuro muito promissor é possível que deixemos de lado nossos consoles e os jogos desktops para jogar pela Web.

Mas aí nos perguntamos, e as aplicações desktop de uso específico como softwares de engenharia (AutoDesk AutoCad), contabilidade, Office, compiladores e etc.? Bom, isso é um assunto mais longo mas que pode ser respondido com apenas uma frase: “Não é impossível.”. Como assim? Tudo que fazemos no desktop pode ser feito na Web, afinal temos um servidor rodando nossa aplicação Web, certo? Basicamente o que falta, são grandes empresas para colocar a mão na massa e fazer isso rodar na Web, por exemplo, o AutoCad é o maior software de engenharia que existe no mundo, as coisas que ele faz podem facilmente serem feitas em um aplicativo Web mas a demanda do tamanho deste software é muito grande e é algo que não deveria ser construído sem uma equipe própria para isso, ou seja, os próprios desenvolvedores do software atual, falando do pacote Office (Word, Excel, PowerPoint, Project, Vision, etc), bom, não precisamos nem comentar a jogada do Google com o lançamento do Google Docs, certo? Então, que tipo de aplicação não pode ir para a Web? Mas aí você me pergunta: “E os aplicativos mobile?”. E quem disse que aplicativos mobile não podem ser portados para a Web? Da mesma forma que podemos portar aplicativos desktop para a Web o mesmo poderá acontecer com aplicativos mobile, afinal, com todas as tecnologias que existem nada nos impede de acessar nossos arquivos, nossa câmera e até mesmo a integração com outros aplicativos, então qual seria o impecílio?

Depois de falar que nada nos impede de migrar todas os nossos softwares para Web, temos que saber também o tem nos dado essa possibilidade, e senhoras e senhores lhes apresento três caras que estão crescendo muito a cada dia e fazendo um trabalho incrível, senhoras e senhores esses são o Sr. HTML5, Mr. JS e Sr. CSS3. Esses três carinhas juntos tem um poder muito grande, atualmente na Web nós conseguimos interfaces muito mais bonitas do que qualquer software desktop já conseguiu trazer (CSS3), conseguimos arrastar, soltar, puxar, esticar, deslizar, rápido, devagar, colocar, retirar, mover e tudo que se imaginar (JS) e estruturar isso rapidamente sem muitos problemas (HTML5). Esses 3 caras esmagaram diversas tecnologias com sua simplicidade, isso inclui do Adobe Flash e o Microsoft Silverlight.

Falamos bastante sobre a parte client-side das aplicações, mas não comentamos sobre a parte server-side, que seriam as tecnologias de Back-end de nossos sistemas, que poder eles nos dão para migrarmos as aplicações desktop/mobile para a Web? Todo. Podemos citar como tecnologias server-side o PHP, NodeJS e Java. Nos últimos anos o PHP tem crescido muito, o Java apesar de ter dado uma estagnada após a compra da tecnologia pela Oracle Corporation e o NodeJS uma tecnologia recente e incrível que lhe permite programar o Back-end “da mesma forma” que se programa no Front-end, todas essas tecnologias nos dão acesso à tudo que precisamos e podemos fazer em um servidor e ligando isso ao nosso Front-End temos tudo que precisamos, a portabilidade de aplicações desktop/mobile para o ambiente Web.

E qual a sua opinião? Acha que o futuro das aplicações é a Web? Você vê algum impecílho? Comente abaixo ou pelo campo de contato!

Espero que tenham gostado, Forte abraço!

Até mais!